domingo, 7 de dezembro de 2014

Um ano depois

Há um ano era sábado. Estava um dia de sol, mas frio, tal como hoje. Tinha passado a noite sem dormir e a chorar, por isso, as olheiras e os olhos inchados eram bem notórios. Não consigo descrever como me sentia. Acho que era um misto de tristeza com um "estou a sonhar, isto não está a acontecer". 
Desde esse dia (ou desde a noite anterior) o meu coração foi arrancado, quebrado e nunca mais voltou ao lugar. Tenho mil perguntas na cabeça e nenhuma resposta. Tenho amigos fantásticos que me apoiam, distraem e alegram, mas quando estou sozinha choro. Choro porque dói demais. 
Dizem que com o tempo as coisas passam, mas não me parece que neste caso aconteça. Como é que a dor de "perder" uma mãe pode atenuar? Todos os dias espero novidades, mas elas não chegam. E a dor, em vez de diminuir, aumenta. Dizem-me para acreditar num final para este tormento e eu digo que sim, que acredito. Mas no fundo acho que só o digo para descansar os outros. No fundo, acho que vou morrer, daqui a muitos muitos anos, sem saber o que se passou na realidade. E isso é algo que me transtorna, me mata por dentro.
Pior do que alguém morrer, é alguém desaparecer sem deixar rasto. Não tenho dúvidas!

15 comentários:

  1. Não quero imaginar a dor que sentes. :(
    Um beijinho muito grande e coragem!

    ResponderEliminar
  2. É impossível imaginar a tua dor. Fica um abraço bem apertado :( Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Deixo-te apenas um beijinho carregado de muita força***

    ResponderEliminar
  4. Oh Pequenina... o que dizer? Não há palavras. :( Desejos de muita força e muita luz no caminho que estás a passar. Beijinho especial cheio de esperança.

    ResponderEliminar
  5. Não imagino a dor que sentes... :( Muita força para ti! Agarra-te às pessoas que estão contigo e que te querem bem... E pensa num dia de cada vez! (: Beijinhos!

    ResponderEliminar
  6. não consigo imaginar a angústia e admiro a tua força! beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Um ano já :(
    Lembro-me do dia em que li aqui no teu blog o que se estava a passar, lembro-me do choque que foi ler aquelas palavras, lembro-me de ter divulgado a informação o mais que pude...
    Não consigo imaginar o que tens passado...

    Um enorme beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Roger, já passou um ano! Parece que estou a viver num universo paralelo e que a qualquer momento posso voltar à minha vida e tudo vai estar normal.

      Eliminar
  8. uma dor insuportável, certamente ... a polícia não investiga?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A polícia nunca investigou. Tudo o que foi feito foi pelos amigos e familiares porque a polícia não quer saber.

      Eliminar
  9. Nem imagino o que sentes. E percebo que muito do que dizes seja para atenuar uma dor que, lá no fundo, nunca desaparecerá :(

    ResponderEliminar
  10. Olá
    Já pensou em divulgar o assunto à comunicação social? Falar para o programa da Julia Pinheiro ou Fátima Lopes? Por vezes esses programas podem ajudar...era uma hipotese!
    Nem imagino aquilo que está a sentir...desejo-lhe muita força e dentro do possivel um Feliz Natal.
    Alexandra M.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 20 dias depois do desaparecimento eu e o meu pai estivemos no programa da Fátima Lopes, mas infelizmente sem resultados.

      Eliminar

Queridos pequeniños, todas as respostas aos comentários serão feitas aqui :) Voltem a visitar o cantinho para as ver! Bisou*