domingo, 29 de junho de 2014

SOS gaivota

Ontem de manhã ocorreu aqui no prédio uma missão de salvamento de uma gaivota bebé. O meu pai começou a ouvir um "piu" vindo do sótão comum ao prédio e achou estranho. Abrimos o sótão e lá estava ela: uma gaivota bebé, que mais parecia um pintaínho, a olhar para nós com um ar assustado. Mobilizamos alguns vizinhos, arranjamos uma escada mais alta, uma rede e lá a apanhamos. 


A questão seguinte era: onde deixar a pequenina? Aqui na rua há muitos gatos e achamos que iam acabar por atacá-la. Demos-lhe um bocadinho de pão e fomos pô-la no jardim em frente ao prédio, a ver se a gaivota mãe se apercebia que ela lá estava e a ía buscar. Ficamos de vigia, mas nada aconteceu. A pequena andava de um lado para o outro no jardim, mas ninguém a vinha buscar.


Decidimos então ir colocá-la num páteo do prédio em frente, para ser um local de mais fácil acesso à gaivota mãe. Em 2 minutos, vieram logo cheirar a cria. No entanto, em vez de pegar nela e a levar de volta ao ninho, decidiram atacar a pobrezinha com bicadas e a bichinha acabou por morrer. Fiquei mesmo triste e revoltada! Se eu já não gostava de gaivotas, agora ainda menos! Estúpidas que atacam a própria espécie de forma tão brutal!

7 comentários:

  1. Oh!! Quando comecei a ler pensei que iria haver um final feliz :/
    Fiquei triste pela pequenota... :(

    ResponderEliminar
  2. Ai pequeniña e eu a ler toda entusiasmada e depois um desfecho destes! :(

    ResponderEliminar
  3. Ohhh ... algumas espécies são más para as suas crias. Que pena :(

    ResponderEliminar
  4. Ó páááá´...vidinha cruel...a lei do mais forte é do caraças...

    ResponderEliminar

Queridos pequeniños, todas as respostas aos comentários serão feitas aqui :) Voltem a visitar o cantinho para as ver! Bisou*